"Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, todos vão entender que dinheiro não se come". ( VALDOMIRO MAICÁ)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Projeto Quintais Orgânicos de Frutas - uma idéia inovadora que nasceu no Sul e que pode ser adaptada a Região Centro-Oeste


RESUMO
O projeto privilegia, técnica e conceitualmente, os princípios da produção orgânica e busca contribuir para a segurança alimentar e ambiental de comunidades carentes em áreas rurais e urbanas, voltado principalmente para agricultores familiares, comunidades quilombolas, indígenas e escolas do campo e cidade.

Aborda questões culturais (resgate da tradição de ter-se um pomar caseiro no quintal), étnicas (envolve negros, brancos e índios), ambientais (auxilia na preservação de espécies frutíferas nativas e animais silvestres), alimentares (fornecimento de frutas e seus subprodutos para os beneficiários durante os 12 meses do ano), econômicas (frutas excedentes são transformadas em sucos concentrados, geléias, doces ou vendidas in natura, possibilitando a geração de renda) e medicinais (frutas, suas partes ou das plantas podem ser utilizadas na prevenção ou combate a algumas enfermidades).

Cada quintal é constituído de cinco mudas de, pelo menos, 12 espécies de frutas, escolhidas em função de suas características nutricionais e medicinais e por se adaptarem bem aos solos e ao clima da região de Clima Temperado.

São utilizadas as seguintes espécies: pêssego, figo, laranja, amora-preta, cereja do Rio Grande, araçá, goiaba, caqui, pitanga, romã, tangerina e limão. A partir de 2006, outras espécies de frutas nativas também passam a integrar o projeto, entre as quais guabijú, araticum, uvaia, jabuticaba e guabiroba. Até 2009 foram implantados 770 quintais, com 169.400 plantas, sendo 53.900 frutíferas e o restante de quebra-ventos, atingindo 29.458 beneficiários diretos, em 90 municípios do Sul do Brasil e do Uruguai. A meta para 2009 é implantar mais 200 quintais.

Objetivos do projeto Quintais


Introduzir e validar, em áreas urbanas e rurais, tecnologias que propiciem a implantação de quintais orgânicos de frutas, com propriedades nutricionais e medicinais, de forma a contribuir com a diminuição da fome e melhorar a qualidade de vida da população.

Quintais orgânicos contribuem com a sustentabilidade
A Embrapa Clima Temperado (Pelotas/RS) é responsável pelo plantio de cerca 170 mil mudas de árvores nos Estados brasileiros do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, sendo 54 mil frutíferas, beneficiando aproximadamente 30 mil pessoas. A Unidade pretende viabilizar, ainda esse ano, o plantio de outras 45 mil mudas de árvores, sendo 15 mil frutíferas. Essa é uma das principais conquistas obtidas pela instituição, através do Projeto Quintais Orgânicos de Frutas, coordenado e executado pela Unidade, com apoio da Fapeg e financiamento da Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE) e do Sistema Eletrobrás.


O Projeto foi implantado em 2004, com apoio do Programa Fome Zero, e tinha como objetivo inicial contribuir com a diminuição da fome e melhorar a qualidade de vida da população com a oferta de alimentos. Entretanto, com o passar dos anos a atividade que tinha uma finalidade social conquistou novos horizontes e, atualmente, contribui também com o meio ambiente. “Apoiamos os Quintais Orgânicos, pois além de acreditar nos objetivos do Projeto, ele é uma contrapartida da CGTEE em relação às usinas de produção energética a base de carvão”, explica o diretor presidente da CGTEE, Sereno Chaise.

O projeto também apresenta benefícios relacionados à capacitação de estudantes, quem explica é o coordenador do projeto e Supervisor da Área de Transferência de Tecnologia da Embrapa Clima Temperado, Fernando Costa Gomes. “Atualmente, temos 16 estagiários, universitários remunerados, que executam atividades junto aos Quintais Orgânicos. Esses futuros profissionais que atuam em diferentes áreas do conhecimento encontram no projeto oportunidade de aprendizado prático”, salienta.

Sustentabilidade produtiva regional e internacional

Para os agricultores familiares, professores e quilombolas contemplados pelo Projeto Quintais Orgânicos os benefícios são tantos, que orgulham os embrapianos que acompanham os êxitos do Projeto, que além de cumprir seus objetivos iniciais vem crescendo cada vez mais.

O agricultor familiar José Pedro Oliveira Prado, de 59 anos, tem um Quintal Orgânico que foi implantado em 2007, na localidade de Alto da Boa Vista, no município do Santana da Boa Vista (RS), seu pomar, apesar de ainda estar produzindo em fase inicial, já está contribuindo com a melhoria econômica da família composta por cinco membros. “Estou achando bacana cuidar dos pomares. Estou pensando em plantar outras mudas junto com meus irmãos, numa outra propriedade, para vender as frutas na cidade”, disse ele. Sua declaração reforça que o Projeto está cumprindo sua missão de alavancar novos investimentos para o plantio de frutas em prol do comércio.

“Melhorou muita coisa e o apoio dos Quintais foi relevante, pois temos frutas o ano todo e antes nossa família não consumia tantas frutas como agora”, afirmou o agricultor familiar Erni Luiz da Rosa, 26 anos, também de Santana da Boa Vista. Seu pomar foi implantado em 2006 e já está produzindo frutas suficientes para sua família, composta por quatro pessoas, além de possibilitar distribuição para os vizinhos e parentes. Seu depoimento reforça a abordagem alimentar do projeto, pois ampliou o fornecimento de frutas para a alimentação durante os 12 meses do ano.

A relevância étnica e cultural dos Quintais Orgânicas é destacada pela quilombola Maria de Lourdes Machado, de 44 anos, ao afirmar que “agora temos outras variedades de algumas frutas que não tínhamos antes, pois só produzíamos citros. Está muito bom”. Ela conta que além das frutas, o pomar serve como fonte de ocupação para seu pai de 68 anos, o quilombola Teobaldo Machado. “Ele passa horas aqui cuidando dessas árvores, adubando, limpando, regando e colhendo frutas. Esse Quintal é uma alegria para ele”, disse.

Finalmente, os benefícios educacionais, medicinais e ambientais do projeto Quintais Orgânicos são reforçados pelas ações desenvolvidas pelo Colégio Estadual Nosso Senhor do Bonfim, de Morro Redondo (RS). Segundo a diretora Madalena Krause, a importância deste projeto faz com que os jovens se envolvam não somente com a produção dos quintais para o plantio de frutas, mas também com a questão da qualidade dos alimentos ingeridos nas refeições. “Criamos uma nova disciplina na 7° série para estudar educação ambiental com ênfase no manejo de pomares, pois enquanto a Embrapa trabalha com os produtores rurais, a escola trabalha com os filhos destes produtores”, finalizou ela.

O sucesso do Projeto já ultrapassou as fronteiras do Brasil e chegou ao Uruguai, onde foram implantados 40 quintais, totalizando outras cerca de 5 mil mudas de árvores, sendo frutíferas e quebra vento. Atualmente, segundo Fernando, está sendo elaborado um projeto de expansão das atividades para todo o Mercosul.

Conheça o projeto


O projeto privilegia, técnica e conceitualmente, os princípios da produção orgânica e busca contribuir para a segurança alimentar e ambiental de comunidades carentes em áreas rurais e urbanas, voltado principalmente para agricultores familiares, comunidades quilombolas, indígenas e escolas do campo e cidade. Enfoca diversos aspectos da sustentabilidade, através de questões culturais, étnicas, ambientais, alimentares, educacionais, econômicas e medicinais.

Ao longo dos primeiros quatro anos do projeto já foram implantados 770 quintais orgânicos de frutas. Cada quintal é constituído de cinco mudas de, pelo menos, 12 espécies de frutas, escolhidas em função de suas características nutricionais e medicinais e por se adaptarem bem aos solos e ao clima da região de Clima Temperado. São utilizadas as seguintes espécies: pêssego, figo, laranja, amora-preta, cereja do Rio Grande, araçá, goiaba, caqui, pitanga, romã, tangerina e limão. Desde 2006, outras espécies de frutas nativas também passaram a integrar o projeto, tais como: guabijú, araticum, uvaia, jabuticaba e guabiroba. Também são utilizadas mudas de quebra vento para proteger os pomares.

Premiações conquistadas

O trabalho que vem sendo desenvolvido pela Unidade em parceria com os agricultores familiares, já rendeu algumas premiações. Em 2007, o projeto Quintais Orgânicos de Frutas foi premiado pela Fundação Banco do Brasil em parceria com a Petrobras, com apoio da Unesco e da KPMG Auditores Independentes com a Certificação de Tecnologia Social 2007. No ano seguinte, o projeto garantiu a terceira edição da Feira Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente (FIEMA) na categoria Tecnologia Ambiental e a 16° Edição do Prêmio Expressão de Ecologia, na categoria Tecnologias Sócio Ambientais – Setor Público.

Futuro do projeto

O empregado da Embrapa Clima Temperado e responsável pelo projeto, Fernando Costa Gomes, ressalta a evolução do trabalho. “Hoje, na atual fase do Projeto, também será priorizado a realização de cursos de capacitação na transformação das frutas e no aproveitamento de suas propriedades funcionais.

Fernando diz isso porque já estão sendo aplicadas idéias inovadoras, como a preparação de doces, geléias, sorvetes, iogurtes, entre outros produtos derivados dessas frutas, atividades de pesquisa que serão repassadas aos beneficiários por técnicos envolvidos com o Projeto. “Queremos capacitar às pessoas que possuem Quintais Orgânicos para que saibam as diversas maneiras de aproveitar as frutas”, afirma Fernando. Além disso, a pesquisadora da Unidade, Márcia Vizzoto, está preparando um folder que divulgará as propriedades funcionais e a importância das frutas para a saúde.

Fonte: jornal Agrosoft

Um comentário:

  1. Muito bom, parabens pela iniciativa, vamos compartilhar informaçoes, meu blog é: www.cerradonline.blogspot.com

    ResponderExcluir

siga o blog