"Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, todos vão entender que dinheiro não se come". ( VALDOMIRO MAICÁ)

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Campanha lança "Desmatamento ilegal zero" em Mato Grosso

"Juara é a capital do boi legal e vamos mostrar que produzimos de forma sustentável e trabalhamos de forma legal, sem destruir o meio ambiente", avisa o produtor e vice-presidente da Associação dos Criadores do Vale do Arinos (Acrivale), Fernando Conte. Ele acrescenta que "nosso compromisso é de desmatamento ilegal zero, sem tolerância, uma iniciativa que vai garantir o futuro de nossa atividade e a preservação do meio ambiente."

A campanha, lançada simultaneamente em Cuiabá e Juara, será desenvolvida numa parceria entre a Acrivale, o Sindicato Rural de Juara e a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat). Além de panfletos e cartazes que serão distribuídos, o pecuarista também irá receber a orientação durante a entrega do comunicado de vacinação contra a aftosa nos postos do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea).

Sete municípios de Mato Grosso entram na "lista suja" do desmatamento


A inclusão dos sete municípios na "lista suja" dos desmatamentos foi discutido no Gabinete de Crise do Governo Federal. As sete cidades – de nove listadas na Amazônia - registraram o maior ritmo de desmatamentos nos últimos meses. De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em março Mato Grosso foi o Estado que mais contribuiu para a perda da floresta, com 480,3 km² de área desmatada - o que representa 80,9% de tudo o que foi desmatado.

As Forças Armadas deverão participar do combate ao desmatamento em Mato Grosso, atuando no bloqueio da comercialização de madeiras exploradas ilegalmente no Estado. O governo de Mato Grosso colocou, como parte da Operação Disparada, cerca de 800 homens para procurar, no interior do Estado, desmatadores. "A meta é desmate ilegal zero", afirma o superintendente do Ibama, Ramiro Martins Costa.

A região mais crítica está no médio norte do Estado, perto de município de Sinop. Até o dia 19 de maio, o Sistema de Detecção de Desmatamentos em Tempo Real (Deter) usado pelo Governo apontou 120 polígonos de grandes desmatamentos. Ao todo, 66 áreas no Estado estão embargadas. Desse total, 16 áreas embargadas pela Secretaria do Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema/MT). O Ibama embargou mais 50, totalizando 19.455,24 hectares.

Até as 18 horas do dia 21 de maio, somente na região de Sinop, o Ibama havia embargado uma serraria, apreendido um barco, sete caminhões, oito motosserras, 40 máquinas pesadas (esteiras, tratores de grande porte, colheitadeiras) e 3.020,07 metros cúbicos de madeiras em tora. Dois helicópteros e um avião bimotor estão sobrevoando a região.

FONTE: 24 Horas News

siga o blog