"Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, todos vão entender que dinheiro não se come". ( VALDOMIRO MAICÁ)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Projeto Biomas terá comitê regional no Cerrado

Lançado no ano passado pela CNA e Embrapa, o Projeto Biomas tem por objetivo garantir a proteção ambiental sem comprometer a produção de alimentos, a partir da utilização de árvores nativas e exóticas na integração com o sistema produtivo e com as áreas de preservação ambiental nas propriedades rurais.

Durante três dias, os especialistas em pesquisa participaram do encontro para discutir sugestões de propostas e parcerias para o projeto no Cerrado. Os interessados em apresentar projetos de pesquisa para a realização de experimentos científicos deverão encaminhar pré-projetos até agosto. As análises destes projetos serão debatidas entre o comitê regional e o comitê nacional, coordenado pela Embrapa Florestas

"Hoje demos um passo importante. Tivemos maior aproximação com entidades de pesquisa, constituímos uma equipe de trabalho, e tivemos a formação de novas parcerias e de linhas temáticas para o projeto", destacou o coordenador nacional do Projeto Biomas, o pesquisador Gustavo Ribas Curcio, da Embrapa Florestas.


A iniciativa foi bem aceita e as discussões sobre o projeto motivou os participantes do encontro. Para Sybelle Barreira, professora de curso de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Goiás (UFG), oProjeto Biomas se destaca pelo caráter inovador. "Isso é o que fica. Ainda não tivemos um projeto desse porte. A pesquisa sempre caminhou isolada e a partir de agora vamos promover a integração com a produção", afirmou. 

"Foi um debate muito produtivo, no qual vimos uma interdisciplinaridade muito forte entre professores, pesquisadores e técnicos. O projeto pode trazer respostas para algumas das suposições que prevemos para o Cerrado", completou Emerson Borghi, pesquisador da Embrapa Pesca e Aquicultura, unidade da estatal localizada em Palmas (TO).

Além das reuniões técnicas, os especialistas visitaram a propriedade rural que servirá de referência para os estudos de clima solo e vegetação, entre outras características, no bioma Cerrado, localizada a 64 quilômetros do centro de Brasília. Os estudos servirão de base para os diagnósticos que serão feitos para o início das experiências práticas. A fazenda escolhida servirá de "vitrine tecnológica" para o bioma. 

O Cerrado é o segundo bioma a ser contemplado. Os trabalhos de pesquisa também estão sendo realizados na Mata Atlântica, em uma propriedade rural no Espírito Santo. Mas a iniciativa também chegará aos outros biomas (Amazônia, caatinga, Pampa e Pantanal). A idéia é utilizar uma vitrine tecnológica em cada bioma.

O projeto também prevê a formação de uma rede de pesquisadores, para fornecer gratuitamente instrumentos técnico-científicos de pesquisa aos produtores rurais, e a transferência de tecnologia, com a capacitação de multiplicadores pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). 


Fonte: Agencia CNA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

siga o blog