"Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, todos vão entender que dinheiro não se come". ( VALDOMIRO MAICÁ)

sábado, 31 de dezembro de 2011

Desejamos a você que nos acompanhou um FELIZ E ABENÇOADO ANO NOVO

Uso de filmes plásticos na conservação de maracujá-amarelo

O maracujá-amarelo (Passiflora edulis Sims f. flavicarpa Deg.) é nativo da América do Sul, sendo cultivado em países tropicais e subtropicais. Essa cultura apresenta expressiva importância tanto pela preferência por meio do mercado interno e externo, como também pela abertura de novos mercados consumidores.

Segundo dados do IBGE (2008), o Brasil é o maior produtor mundial, com produção de 684 mil toneladas em uma área aproximada de 49 mil hectares e rendimento médio de 14 mil kg/ha. O grande potencial para produção desse fruto visa atender principalmente o mercado de fruta fresca e de suco. O maracujá-amarelo se caracteriza por apresentar elevado valor nutritivo, boa qualidade gustativa, bem como tamanho e aparência externa de grande aceitação. A comercialização da fruta fresca é feita em feiras livres, mercados municipais, atacadistas, indústria de sucos e para exportação.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Sistemas Agroflorestais

A prática do desmatamento em áreas de florestas tropicais, em tempos passados, era uma atividade que pouco ou em nada sensibilizava a sociedade. Entretanto hoje, a devastação dessas florestas possuidoras de grandes recursos animais e vegetais, chega a constituir-se em assunto de preocupação mundial. Segundo a literatura, o custo sócio-econômico e ecológico da destruição das florestas nativas tropicais é extremamente elevado, especialmente na Região Amazônica, onde centenas de imigrantes foram assentados fazendo uso da prática do desmatamento para dar lugar a exploração de pecuária extensiva e cultivo de lavouras com espécies ditas de ciclo curto, como arroz, milho, feijão e mandioca. Por outro lado nada é citado à respeito do custo/benefício proveniente da exploração desordenada da floresta nativa por madeireiros instalados em nossa região.

O consumo de carne de caça na Amazônia Brasileira

Estima-se que na Amazônia Brasileira sejam consumidas, para fins de subsistência, cerca de 90 mil toneladas de carne de caça por ano, o que equivale ao abate de, aproximadamente, 25 milhões de animais em um período de até 12 meses. Com a intensificação no uso da terra, a valoração da floresta em pé, a possibilidade de aproximação de áreas isoladas, seja por meio da melhoria da infraestrutura ou devido aos avanços da tecnologia, que facilitam, por exemplo, o acesso a armas, armadilhas, energia e transporte, a expectativa é que essa situação se agrave, rapidamente, aumentando o número de espécies da fauna silvestre em extinção. Nesse contexto, o sucesso das políticas públicas que tratam do manejo e conservação dos animais silvestres passa, necessariamente, por um melhor entendimento do papel da caça na segurança alimentar das comunidades amazônicas.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

ONU inicia Década da Biodiversidade


A Organização das Nações Unidas (ONU) lançou no dia 17 de dezembro de 2011 na cidade de Kanazawa, Japão, a Década da Biodiversidade. Durante os anos de 2011 a 2020, a ONU quer implementar planos estratégicos de preservação da natureza e encorajar os governos a desenvolver e comunicar resultados nacionais na implementação do Plano Estratégico para Biodiversidade.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Tucumã do Amazonas é alvo de interesse para alimento, cosméticos e energia


Conhecido no Amazonas como ingrediente do sanduíche "X-caboquinho", o tucumã-do-amazonas (Astrocaryum aculeatum) também está sendo alvo de interesse como fonte de matéria-prima não apenas para alimentação, mas também para agroenergia e cosméticos. Algumas pesquisas realizadas com tucumã pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) estão buscando mapear e caracterizar as populações naturais para possibilitar o pré-melhoramento genético dessa e de outras palmáceas, encontradas também em outras regiões do Brasil.


Um dos pontos de partida é a conservação da diversidade genética. Nesse sentido, a Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus/AM) vem organizando coleções com exemplares do tucumã, provenientes de coletas de materiais genéticos (acessos) em maciços naturais (áreas onde se encontram vários exemplares de plantas nativas de uma mesma espécie) existentes em diversas localidades dos municípios do Amazonas. A partir dessas coleções podem ser feitos estudos visando ao melhoramento dessa espécie em relação à produtividade, ao teor e à qualidade de óleo, biologia reprodutiva, entre outros aspectos de interesse.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Documento - ANVISA

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos

Agricultura agroecológica será reforçada pelo MDA em 2012

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) acaba de definir metas para investimento na produção de alimentos agroecológicos e orgânicos no Plano Plurianual do Governo Federal (2012-2015). Entre elas estão a construção do marco legal, a promoção e o acesso a mercados e o investimento em ciência e tecnologia. Para 2012, o MDA pretende aumentar a base produtiva orgânica por meio do fortalecimento das redes e das organizações que atuam com agricultura familiar, e incrementar a comercialização nos mercados institucionais e privados voltados para o setor.

Agência Nacional de Águas abre inscrições para o Prêmio ANA 2012

A Agência Nacional de Águas (ANA) abriu no dia 19 de dezembro de 2011 as inscrições para a quarta edição do Prêmio ANA que, a cada dois anos, reconhece iniciativas que se destacam pela excelência e contribuição para a gestão e o uso sustentável dos recursos hídricos do País. Nesta edição, serão oito categorias de premiação: governo; empresas; organizações não governamentais; pesquisa e inovação tecnológica; organismos de bacia; ensino; imprensa e água e patrimônio cultural. As inscrições podem ser feitas até 1º de junho de 2012.

Instituído em 2006, o Prêmio ANA busca identificar ações que estimulam o combate à poluição e ao desperdício e apontam caminhos para assegurar água de boa qualidade e em quantidade suficiente para o desenvolvimento das atuais e futuras gerações.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Parque Nacional do Xingu está ameaçado




Criado em 1961, por iniciativa de Darcy Ribeiro, Marechal Rondon, dos irmãos Villas-Bôas, entre outros grandes brasileiros, o Parque Indígena do Xingu possui mais de 2,5 milhões de hectares e reúne 16 etnias, entre elas os Kamayurás, Yawalapitís, Waurás, Kalapalos, Awetis e Ikpengs.

Paula Saldanha e Roberto Werneck vão além dos encantos da cultura do Xingu e mostram a situação atual do Parque que corre riscos. Entre eles, o fato de estar no meio de um território devastado pelo avanço da pecuária e da soja, pela destruição e a poluição das nascentes do Xingu, que ameaçam a sobrevivência desta importante reserva. 14/12/11 - Expedições / TV Brasil - 25:29

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Votação do Código Florestal será em 2012



A votação do Código Florestal na Câmara só deve ocorrer em 2012. O texto-base foi aprovado ontem pelo Senado, mas como houve alterações, terá de passar novamente pela apreciação dos deputados antes de ir à sanção presidencial.

siga o blog