"Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, todos vão entender que dinheiro não se come". ( VALDOMIRO MAICÁ)

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Embrapa e Empaer pesquisam variedades resistentes a brusone

Para controlar a brusone (Magnaporthe grisea), doença que ataca o arroz e causa prejuízo significativo na produção e qualidade dos grãos a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) implantaram canteiros de observação no município de Paranatinga (373 km ao Sul de Cuiabá), para avaliar 322 genótipos de arroz. Esse experimento faz parte do Viveiro Nacional de Brusone que acontece em sete Estados do Brasil para obter cultivares e linhagens resistentes.

O pesquisador da Empaer e chefe do setor de fitopatologia, Napoleão Silvino de Souza, esclarece que os experimentos estão sendo testados na região que é produtora de arroz e com incidência da doença. No teste de resistência está sendo usado o método de inoculação natural em canteiros padronizados com reação uniforme da doença, ou seja, após o plantio dos genótipos nas áreas infestadas com a força do vento acontece a disseminação dos esporos. Após a infestação é verificada qual variedade é mais resistente à doença.
(Foto - Emir Feguri)

O Técnico e Biólogo da Empaer, Emir Feguri é responsável pelo plantio e teste de avaliação de resistência da brusone na área infestada. Os canteiros foram implantados no dia 20 de janeiro e após 35 a 40 dias, terão resultados das novas linhagens resistentes na região. Napoleão ressalta que o objetivo é obter linhagens resistentes, aumentar a produtividade e melhorar a qualidade do arroz ampliando as opções de cultivo para rotação da cultura e propiciar alternativas para aumentar a renda das famílias rurais.

Segundo o pesquisador, o plantio é feito em linhas de 50 centímetros de comprimento, com espaçamento de 10 centímetros. Três linhas de bordadura, compostas de cultivares suscetíveis são plantadas nos dois lados do canteiro no sentido transversal e horizontal. Esse experimento e o Projeto do Viveiro Nacional da Brusone propõem gerar conhecimentos e métodos adequados para controle da doença em cultivo de arroz de Terras Altas.

No ano de 2009, foi implantado viveiro no município de Campo Verde (131 km ao Sul da capital), com aproximadamente 500 materiais genéticos de arroz e todos os dados foram encaminhados para a Embrapa Arroz e Feijão no Estado de Goiás. Conforme Souza, algumas variedades resistentes a brusone foram lançadas tais como: Primavera, Cambará, Maravilha, Araguaia, Canastra, Bonança, Carajás, Caiapó e etc.

Para controlar a Brusone participam do lançamento de variedades resistentes os Estados de Goiás, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rondônia, Tocantins e Santa Catarina. Os resultados serão repassados para a Embrapa até o dia 01 de março (2010). Os pesquisadores têm a responsabilidade de avaliar as variedades mais resistentes nas regiões citadas.

Fonte: O Documento

Nenhum comentário:

Postar um comentário

siga o blog