"Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, todos vão entender que dinheiro não se come". ( VALDOMIRO MAICÁ)

terça-feira, 18 de junho de 2013

MENTES TÃO BEM

PERDOA

IDAS E VOLTAS

GOIABA - Vitamina C


REDE MATO-GROSSENSE


PESQUISA DE BRUSONE NO ARROZ EM PARANATINGA - 2012/2013


Pesquisadores: Emir Feguri (Biólogo); Napoleão Silvino de Souza (Agrônomo); Paula de Ramos Paiva (Agrônomo)


O que são alimentos transgênicos?




sábado, 15 de junho de 2013

Um dia que não existiu


Hoje, Dia Mundial do Meio Ambiente, a gente deveria celebrar a riqueza que o país tem em florestas, rios e fauna. Mas o vento que sopra do Planalto não é o mais promissor.
zoom
Desmatamento na Flona de Altamira (PA) em outubro de 2012. ©Rodrigo Baleia/Greenpeace

A presidente Dilma e a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, tentaram montar um circo para transformar notícias velhas em propaganda do governo. É como se o Dia Mundial do Meio Ambiente não existisse para elas. E, se levarmos em considerações as últimas ações e falas desse governo, ele não existe mesmo.

Elas mostraram - de novo - uma queda histórica no desmatamento da Amazônia, que deve ser comemorada, mas que reflete uma situação atrasada (4.571 km2 entre agosto de 2011 e julho de 2012). Desde então, sinais de aumento do desmatamento surgem a toda hora, inclusive vindos do próprio governo por meio de seu sistema Deter. Sobre isso, ninguém falou nada.

siga o blog